Cimeira "Um Oceano": A UNESCO apela aos países para que incluam a educação para os oceanos nos currículos escolares até 2025

UNESCO

Cimeira "Um Oceano": A UNESCO apela aos países para que incluam a educação para os oceanos nos currículos escolares até 2025

Cimeira "Um Oceano": A UNESCO apela aos países para que incluam a educação para os oceanos nos currículos escolares até 2025 2000 1335 Década do Oceano

Por ocasião da Cimeira "Um Oceano" que se realiza em Brest, França, a UNESCO anunciou que estabeleceu o objectivo de incluir a educação oceânica nos currículos escolares dos seus 193 Estados-membros até 2025. Para alcançar este objectivo, a agência das Nações Unidas está a disponibilizar aos decisores públicos um conjunto de ferramentas com um quadro de referência comum de conteúdo educacional sobre o oceano.

" A comunidade internacional deve fazer da educação um dos pilares da sua acção em prol do oceano. Porque se queremos protegê-lo melhor, temos de o ensinar melhor. Por ocasião da Cimeira Um Oceano, estabeleço um objectivo comum para os nossos 193 Estados-Membros: incluir a educação para os oceanos nos currículos escolares até 2025. "Audrey Azoulay Directora-Geral da UNESCO, durante a sua presença em Brest

Desde o nível nacional até à sala de aula

Para alcançar este ambicioso objectivo, a UNESCO revelou na quinta-feira um repositório comum de conteúdos educativos para decisores políticos e criadores de currículos. Dá-lhes todas as chaves necessárias para integrar a educação oceânica a todos os níveis da cadeia educativa: desde a elaboração de currículos nacionais até à preparação de aulas pelos professores.

” Graças a este conjunto de ferramentas, todos os Estados estão em pé de igualdade, rapidamente capazes de colocar o oceano no centro da educação e aumentar os conhecimentos dos estudantes nesta área, para que se tornem cidadãos responsáveis e empenhados". Stefania Giannini Directora-Geral Adjunta da UNESCO, responsável pela educação

Valorização das boas práticas

As novas ferramentas educacionais fornecidas pela UNESCO, com o apoio da AXA XL e numerosos outros parceiros e especialistas, reflectem a convicção de que precisamos de mudar a forma como a sociedade interage com o oceano para alcançar um modelo mais sustentável.

No seu instrumento de referência, a UNESCO destaca as boas práticas dos Estados-Membros que já trabalham na educação oceânica, tais como Brasil, Canadá, Costa Rica, Quénia, Portugal e Suécia. Sob a forma de estudos de casos, a Organização apresenta os principais resultados alcançados por estes países, bem como as oportunidades e desafios encontrados quando se procura incluir o conhecimento dos oceanos de uma forma estruturada no currículo.

Incluindo os conhecimentos tradicionais

Para a UNESCO, a educação oceânica não deve envolver apenas a transmissão de conhecimentos científicos e a sensibilização para as questões contemporâneas; deve também promover competências e conhecimentos tradicionais, tais como os protegidos pela Convenção sobre o Património Cultural Imaterial de 2003, que promove técnicas de pesca ancestrais, por exemplo. O novo conjunto de ferramentas da UNESCO deixa aos Estados-Membros e regiões a tarefa de adaptar a "teoria da mudança" às suas práticas, situações e necessidades específicas.

A UNESCO irá monitorizar a implementação deste objectivo pelos seus 193 Estados-membros. Está previsto um primeiro relatório de progresso para a COP27, que terá lugar em Novembro de 2022 no Egipto.

A UNESCO e o oceano

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura é a agência da ONU responsável pelo oceano. A Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI), fundada em 1960 e à qual aderiram 150 países, coordena programas globais tais como mapeamento oceânico, monitorização da saúde dos oceanos e prevenção do risco de tsunami, bem como numerosos projectos de investigação científica. A agência é também a guardiã de locais oceânicos únicos, através de 232 reservas da biosfera marinha e 50 sítios do património mundial marinho de valor universal excepcional.

A UNESCO lidera a Década das Nações Unidas das Ciências Oceânicas para o Desenvolvimento Sustentável (2021 a 2030), que este ano assistirá à organização de várias cimeiras internacionais importantes que ajudarão a amplificar a mobilização neste campo.

Descobrir o conteúdo educacional

Kit de imprensa: Programas oceânicos da UNESCO

Contacto de imprensa: Thomas Mallard, +33 1 45 68 22 93

A DÉCADA DO OCEANO

A ciência que precisamos para o oceano que queremos

ENTRAR EM CONTACTO

PRÓXIMOS EVENTOS

SUBSCREVER A NOSSA NEWSLETTER

OPORTUNIDADES

Junte-se #OceanDecade

Preferências de privacidade

Quando visita o nosso sítio Web, este pode armazenar informações através do seu browser de serviços específicos, normalmente sob a forma de cookies. Aqui pode alterar as suas preferências de privacidade. É importante notar que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar a sua experiência no nosso sítio Web e os serviços que podemos oferecer.

Por motivos de desempenho e segurança, utilizamos o Cloudflare
necessário

Ativar/desativar o código de acompanhamento do Google Analytics no navegador

Ativar/desativar a utilização de tipos de letra do Google no navegador

Ativar/desativar vídeos incorporados no navegador

Política de privacidade

O nosso sítio Web utiliza cookies, principalmente de serviços de terceiros. Defina as suas preferências de privacidade e/ou concorde com a nossa utilização de cookies.