Década do Oceano Mecanismode desenvolvimento de capacidades

Reforçar a gestão global dos oceanos através do desenvolvimento de capacidades

O que é o Década do Oceano Capacity Development Facility?

A Facilidade de Desenvolvimento de Capacidades Década do Oceano baseia-se nos pontos fortes e na experiência única da IOC-UNESCO no desenvolvimento de capacidades e fornece um meio flexível e evolutivo de apoiar as necessidades de desenvolvimento de capacidades de indivíduos e instituições envolvidas no Década do Oceano.

O Mecanismo de Desenvolvimento de Capacidades trabalha para identificar e responder às necessidades de desenvolvimento de capacidades dos parceiros envolvidos nas actuais e futuras acções Década do Oceano . Através deste trabalho, o Mecanismo de Desenvolvimento de Capacidades servirá para estabelecer ligações entre peritos de todo o mundo, com especial ênfase no estímulo ao envolvimento e reforço do apoio aos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, aos Países Menos Desenvolvidos e aos Profissionais dos Oceanos em Início de Carreira.

O sítio Década do Oceano Capacity Development foi criado com o financiamento do Governo Flamengo através do Fundo Fiduciário UNESCO/Flandres (FUST).

Como é que funciona?

O Mecanismo de Desenvolvimento de Capacidades apoia os intervenientes que desejem participar na conceção conjunta de futuras acções da Década, bem como as acções da Década existentes que possam necessitar de mais apoio em iniciativas específicas de desenvolvimento de capacidades. Este objetivo é alcançado através de:

  • Identificação das necessidades prioritárias de desenvolvimento de capacidades dos actuais e futuros proponentes de acções da Década
  • Realização de iniciativas para satisfazer as necessidades de desenvolvimento de capacidades identificadas através do Mecanismo
  • Apoiar a facilitação de uma comunidade de práticas Década do Oceano centrada no desenvolvimento de capacidades

O Mecanismo de Desenvolvimento de Capacidades também integra actividades específicas para mobilizar recursos e estabelecer parcerias com parceiros filantrópicos, governos e indústria, a fim de garantir contribuições financeiras e em espécie para os custos operacionais e, assim, assegurar a sua sustentabilidade ao longo de todo o sítio Década do Oceano e para além dele.

Como participar?

Envie-nos um e-mail para obter mais informações sobre como participar.

Contacto: oceandecade@unesco.org

Conheça o Comité de Direção

François Bailet, licenciado em Ciências do Ambiente, Diplôme d'Étude Approfondies (Direito e Economia do Desenvolvimento) e doutorado em Direito Internacional Público, foi assistente especial de Elisabeth Mann Borgese durante quase uma década, até ao seu falecimento em 2002. Foi então nomeado Diretor Executivo Adjunto da Rede do Instituto Internacional dos Oceanos (IOI), depois Conselheiro Especializado em Governação dos Oceanos do IOI e Conselheiro Honorário do Presidente do IOI. Após cerca de uma década no IOI, assumiu um cargo nas Nações Unidas em 2004, na Divisão para os Assuntos dos Oceanos e o Direito do Mar (DOALOS), Gabinete de Assuntos Jurídicos, onde desempenha atualmente as funções de Oficial Jurídico Sénior.

Enquanto esteve na IOI, as principais responsabilidades do Dr. Bailet incluíam: desenvolvimento de capacidades, educação académica e desenvolvimento/implementação do direito dos oceanos e quadros políticos a todos os níveis de governação. Representou também a organização em numerosos processos internacionais, regionais e nacionais de direito e política dos oceanos, bem como nas Nações Unidas.

Atualmente, Bailet é chefe da Unidade de Reforço de Capacidades e Fundos Fiduciários do DOALOS e coordena o trabalho em vários tópicos, incluindo a governação dos oceanos, a economia azul e as finanças, a interface ciência-política, e lidera a comemoração do Dia Mundial dos Oceanos pelas Nações Unidas.

Durante três décadas, o Dr. Bailet foi conferencista convidado e orador em numerosas conferências internacionais, cursos académicos e programas de desenvolvimento de capacidades em todo o mundo, e foi professor adjunto de Direito e de Assuntos Marítimos. Também fez parte de vários conselhos de administração e órgãos consultivos de fundações, universidades e organizações não governamentais.

Alan Evans é o Chefe Suplente da Delegação do Reino Unido junto da Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI/UNESCO) e é Presidente do Grupo de Peritos da COI para o Desenvolvimento de Capacidades. Durante o seu mandato como presidente deste grupo de peritos, Alan apoiou os esforços de desenvolvimento de capacidades da COI. Isto incluiu a realização de inquéritos regulares de avaliação das necessidades de desenvolvimento de capacidades, o desenvolvimento do IOC Ocean InfoHub e do IOC Ocean CD-Hub e, mais recentemente, supervisionou a atualização da Estratégia de Desenvolvimento de Capacidades do COI, 2023-30 e o seu plano de Divulgação e Comunicação associado .

Alan desempenhou uma série de funções de desenvolvimento de capacidades com outras agências das Nações Unidas, incluindo como membro do Painel Consultivo do Fundo de Dotação da ISA para a Investigação Científica Marinha (agora Fundo de Parceria), membro do Comité Consultivo do Projeto de Investigação em Águas Profundas da ISA Women In Deep-Sea e foi Presidente da sessão sobre as principais conclusões da avaliação do Fundo de Dotação durante o workshop internacional da ISA sobre Desenvolvimento de Capacidades, Recursos e Avaliação de Necessidades, 2020. Alan supervisionou vários bolseiros do programa de bolsas de estudo DOALOS-UN Nippon Foundation e foi também membro da Delegação do Reino Unido nas negociações do Tratado sobre Biodiversidade para Além da Jurisdição Nacional (BBNJ), onde, na IGC 5, foi o representante do Reino Unido na negociação da Parte V do Acordo sobre o Reforço de Capacidades e a Transferência de Tecnologia Marinha.

Christa von Hillebrandt-Andrade trabalha para a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos como Directora Adjunta do Centro Internacional de Informação sobre Tsunamis (ITIC) e Directora do seu Gabinete das Caraíbas em Mayagüez, Porto Rico. Durante várias décadas, tem estado envolvida na criação e no reforço de sistemas de alerta precoce de ponta a ponta na América Latina e nas Caraíbas. Christa von Hillebrandt-Andrade está empenhada em promover a preparação para tsunamis e a resiliência a tsunamis nos EUA, nas Caraíbas e a nível mundial através de programas como o Programa de Reconhecimento de Prontidão para Tsunamis da UNESCO IOC e o Década do Oceano. Atualmente, é Presidente do Grupo de Trabalho 3 sobre Divulgação e Comunicação do Alerta de Tsunamis do Grupo de Coordenação Intergovernamental UNESCO/IOC para o Sistema de Alerta de Tsunamis e outros Riscos Costeiros para as Caraíbas e Regiões Adjacentes e também do Comité Científico do Programa de Tsunamis Década do Oceano . von Hillebrandt-Andrade é licenciada em Geologia pela Universidade de Delaware e tem um mestrado da Escola Politécnica Nacional de Quito, Equador.

Charlotte Hudson é a Directora de Projeto do Lenfest Ocean Program, um programa de subvenções científicas sediado na Pew Charitable Trusts (Washington, D.C., EUA), que financia projectos de investigação que respondem às necessidades dos intervenientes marinhos e costeiros e apoia os bolseiros a envolverem-se com as pessoas com maior probabilidade de utilizar os resultados. É responsável pela identificação de áreas temáticas de investigação e pela supervisão da conceção e implementação de projectos de investigação que incluam um envolvimento intencional com aqueles que poderão utilizar a investigação. Também supervisiona o envolvimento e a comunicação dos resultados da investigação de forma a informar as decisões políticas e a promover a gestão sustentável do oceano. Charlotte é coautora de muitos artigos sobre o papel da ciência, da filantropia e da política na tomada de decisões. É licenciada em biologia pelo Davidson College e tem um mestrado em gestão ambiental pela Nicholas School of the Environment da Duke University.

Evgeniia Kostianaia é a Coordenadora Global do Programa para Profissionais dos Oceanos em Início de Carreira ("Programa ECOP"), aprovado pela ONU em Década do Oceano , e Consultora do COI/UNESCO. O objetivo do programa é apoiar os profissionais dos oceanos em início de carreira no desenvolvimento das suas capacidades e no seu trabalho, proporcionando uma rede de contactos significativa, formação, desenvolvimento profissional, oportunidades de financiamento e criando capacidade de cooperação e intercâmbio de conhecimentos. Evgeniia é uma gestora ambiental marinha com interesses de investigação em poluição marinha, clusters oceânicos, ligações entre alterações climáticas e segurança alimentar e impactos das alterações climáticas no turismo costeiro e nas infra-estruturas ferroviárias.

Evgeniia é também o Ponto Focal de Moscovo do Instituto Internacional dos Oceanos (Malta). É membro de um grupo de trabalho sobre o desenvolvimento sustentável da região do Mar Cáspio e da Rede Científica Integrada do Cáspio (CASPISNET). Co-editora de um livro em dois volumes "Plastics in the Aquatic Environment" (Springer, 2022).

Andrick Lal, Centro de Colaboração das Ilhas do Pacífico Década do Oceano (DCC).

Ann-Katrien Lescrauwaet é atualmente directora de Relações Internacionais no Instituto Marinho da Flandres (VLIZ).

Ann-Katrien tem mais de 35 anos de experiência em conservação marinha, na Europa e na América do Sul. Tem estado ativamente envolvida em programas de investigação e inovação oceânica para uma gestão sustentável, trabalhando na interface ciência-política e na cooperação com a economia azul na UE (União Europeia), em bacias marítimas e num contexto global. A sua atenção centra-se nas ligações entre clima-oceano-biodiversidade e sociedade. No VLIZ, coordena atualmente a contribuição para o Década do Oceano, como copresidente do Comité Nacional da Década Belga, e como elo de ligação com programas da UE como a "Missão Oceano e Águas 2030", e na cooperação bilateral em investigação oceânica no Oceano Índico Ocidental e no Sudeste do Pacífico. É também membro nomeado da comissão Flandres (Bélgica)-UNESCO. É uma forte defensora da Ciência Aberta e dos dados FAIR e está empenhada nos princípios da partilha de dados e infra-estruturas de investigação para avançar na ciência dos oceanos num contexto de participação equitativa. Promove o desenvolvimento das capacidades humanas para pôr em prática a visão da UNESCO de "não deixar ninguém para trás" na abordagem dos grandes desafios societais.

Ann-Katrien tem um mestrado em biologia marinha, um doutoramento em ciências marinhas pela Universidade de Gent (Bélgica) e uma licenciatura em gestão paisagística pela Universidade do País de Gales (Reino Unido).

Li Li é o Diretor da Divisão de Cooperação Internacional no Primeiro Instituto de Oceanografia (FIO), Ministério dos Recursos Naturais, na China, instituto que acolhe atualmente o Centro de Colaboração da Década sobre o Nexo Oceano-Clima. Li tem experiência na organização de eventos internacionais de formação, actividades e conferências, bem como na gestão e coordenação de projectos científicos internacionais. É também geoquímica marinha e os seus interesses de investigação centram-se nos processos de ciclo biogeoquímico de elementos vestigiais no sistema marinho. Liderou uma série de projectos fundados pelo CNSF, COMRA e MOST na China. É atualmente a representante do Comité Nacional da Década da China.

Edem Mahu é professora catedrática de Biogeoquímica Marinha na Universidade do Gana. O seu ensino e investigação abrangem reconstruções paleoclimáticas e ambientais de ecossistemas marinhos, poluição marinha, conservação e abordagens baseadas na natureza para mitigar os riscos costeiros induzidos pelo clima. Atualmente, lidera os projectos Restauração e Conservação dos Recifes de Ostras para a Subsistência e Proteção dos Ecossistemas e Mangues como Soluções Baseadas na Natureza para os Riscos Costeiros no Gana. É membro do Programa ARISE da União Africana/União Europeia e do programa FLAIR da Royal Society. É membro da direção da Parceria para a Observação do Oceano Global.

Está fortemente envolvida em actividades de desenvolvimento de capacidades em ciências do oceano em África e tem sido co-organizadora da escola de verão sobre o Oceano Costeiro no Gana e na Nigéria (COESSING) desde 2015. Faz parte dos conselhos de administração de quatro programas apoiados pela ONU Década do Oceano, nomeadamente, CoastPredict, Global Ocean Corps and Conveyor, EQUISEA e Ocean Best Practices System. Com o apoio da National Geographic Society e de outras organizações parceiras, está a levar a Universidade do Gana a acolher o Simpósio de Ciências Marinhas da África Ocidental. O simpósio, que tem como objetivo promover parcerias para o avanço da ciência dos oceanos na África Ocidental, é o primeiro do género a ser realizado na sub-região e foi aprovado como uma atividade da Década. Mahu recebeu o Prémio África 2022 da União Geofísica Americana (AGU) para a Excelência da Investigação em Ciências do Oceano. Ela é apaixonada por orientar a próxima geração de cientistas marinhos em África e criar oportunidades para profissionais dos oceanos em início de carreira no continente.

Peter Pissiersens é o Chefe do Gabinete de Projectos do COI para a IODE em Oostende, que é também o Secretariado da IODE desde 2007. Originalmente um biólogo marinho da Universidade Livre de Bruxelas, Peter Pissierssens mudou-se para o Quénia em 1985 e desenvolveu a rede regional de informação marinha para a África Oriental (RECOSCIX-WIO). Trabalhou também no PNUA de Nairobi antes de entrar para a Comissão Oceanográfica Intergovernamental em 1989, novamente no Quénia. Mudou-se para a sede da COI em Paris, França, em 1992, onde assumiu as actividades de gestão da informação marinha para o Intercâmbio Internacional de Dados e Informações Oceanográficas (IODE) da COI. Em 2000, assumiu o cargo de diretor dos serviços oceânicos da COI.

Jaqueline Uku, Presidente do Grupo de Trabalho Africano Década do Oceano .

Gert Verreet, UNESCO/Flandres Fundos em Fideicomisso para o apoio às actividades da UNESCO no domínio da ciência (FUST). Com várias décadas de experiência profissional - a maior parte das quais em contextos internacionais de proteção do ambiente marinho - Gert Verreet é atualmente Conselheiro na Divisão de Investigação do Departamento Flamengo de Economia, Ciência e Inovação (EWI), onde contribui para a colaboração flamenga, nacional e internacional em ciências ambientais. É o Ponto Focal belga para a Comissão Oceanográfica Intergovernamental da Unesco (COI) e supervisiona/co-gerencia a utilização dos recursos do Fundo Fiduciário da Unesco para as Ciências da Flandres (FUST), que apoia projectos da COI e das divisões de ciências naturais da Unesco (com actividades no Programa Hidrológico Intergovernamental (IHP) e no Programa Homem e Biosfera (MAB)).

Representa a Flandres e a Bélgica em vários contextos europeus de cooperação em ciências naturais relacionados com a investigação marinha e da água. É vice-presidente do grupo de trabalho estratégico "Ambiente" do Fórum Europeu de Estratégias para Infra-estruturas de Investigação (ESFRI). Atualmente, acompanha ativamente diferentes mecanismos europeus de cooperação no domínio da investigação marinha e da água, como a JPI Oceans, as parcerias Horizon Europe, a Mission Ocean & Waters.

Últimas notícias:

Inspirar a ação colaborativa nos oceanos à escala global: Década do Oceano lança um novo curso de formação em linha sobre co-design

O que é a co-conceção e por que razão é fundamental para a ação dos oceanos em prol do desenvolvimento sustentável? Por onde e como começar? Quais são os passos para dar vida a acções co-desenhadas? Com [...]

Novo Década do Oceano Mecanismo de Desenvolvimento de Capacidades para apoiar o desenvolvimento de competências e conhecimentos para soluções sustentáveis para os oceanos

A ciência dos oceanos está distribuída de forma desigual entre geografias, gerações e géneros. De acordo com o Relatório Global sobre a Ciência dos Oceanos de 2020 (GOSR), os avanços transformadores na ciência dos oceanos são principalmente liderados por países desenvolvidos e de elevado rendimento [...]

O Governo da Flandres financia uma nova iniciativa para apoiar o desenvolvimento de capacidades como parte da Década do Oceano

No âmbito da Década das Nações Unidas de Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável, o Governo da Flandres aprovou um financiamento de 1,1 milhões de dólares para uma nova Facilidade de Desenvolvimento de Capacidades no [...]

A DÉCADA DO OCEANO

A ciência que precisamos para o oceano que queremos

ENTRAR EM CONTACTO

PRÓXIMOS EVENTOS

SUBSCREVER A NOSSA NEWSLETTER

OPORTUNIDADES

Junte-se #OceanDecade

Preferências de privacidade

Quando visita o nosso sítio Web, este pode armazenar informações através do seu browser de serviços específicos, normalmente sob a forma de cookies. Aqui pode alterar as suas preferências de privacidade. É importante notar que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar a sua experiência no nosso sítio Web e os serviços que podemos oferecer.

Por motivos de desempenho e segurança, utilizamos o Cloudflare
necessário

Ativar/desativar o código de acompanhamento do Google Analytics no navegador

Ativar/desativar a utilização de tipos de letra do Google no navegador

Ativar/desativar vídeos incorporados no navegador

Política de privacidade

O nosso sítio Web utiliza cookies, principalmente de serviços de terceiros. Defina as suas preferências de privacidade e/ou concorde com a nossa utilização de cookies.