Notícias

Reunir surfistas e cientistas para uma actividade regenerativa da Década dos Oceanos

ReGeneration Surf, 14.06.2022

O ano 2021 viu o início da Década do Oceano, mas foi também o ano em que o surf fez a sua estreia nas Olimpíadas. Ambos indicam que a relação da humanidade com o Oceano está a evoluir.

O surf é um desporto único na medida em que requer uma enorme compreensão do Oceano - especialmente as suas marés e condições flutuantes - para que os surfistas produzam as melhores ondas e atinjam o seu potencial atlético mais elevado. No entanto, o surf, que teve origem nas ilhas Polinésias e nas costas peruanas há milhares de anos atrás, era tradicionalmente uma forma de as comunidades costeiras se ligarem ao seu maior recurso: o Oceano, e não necessariamente uma forma de mostrar as suas proezas desportivas.

Desde a sua modernização, e a ascensão do surf à arena desportiva olímpica, um aspecto tem faltado ao longo desta perseguição dos seres humanos a surfar ondas. Apesar do surf ter lugar no Oceano, e apesar dos surfistas precisarem de espaços oceânicos para serem saudáveis e resilientes, o foco do surf tem sido a mercantilização e conquista de ondas. Os surfistas tendem a gastar o seu tempo a fazer exactamente isso, em vez de estudar, monitorizar ou conservar os habitats marinhos que frequentam. Simplesmente vão simplesmente surfar, mas ainda têm uma ligação profunda ao Oceano e a tudo o que este lhes proporciona.

A ReGeneration Surf viu isto como uma oportunidade de combinar novas técnicas de restauração oceânica com a perícia de alfabetização dos surfistas, e de ajudar a ciência cidadã piloto (utilizando especificamente surfistas) no campo da restauração Kelp.

A Decade of Ocean Science Activity, ReGeneration Surf é um projecto que reúne várias organizações portuguesas (Oceans and Flow, Mossy Earth, Seaforester e Zero Waste Lab) através de disciplinas Oceânicas, e é coordenado pela ECOP Natalie Fox. Natalie é formada em MSc Sustainability, produziu um trabalho sobre a intersecção entre o surf e a alfabetização oceânica, e apresentou o seu trabalho no dia V.ECOP em 2021.

Quase um ano após o dia V.ECOP de 31 de Maio de 2022, o dia da implantação teve lugar em Peniche, Portugal. O dia da implantação significou que o "cascalho verde" que tinha sido semeado no laboratório do IPLeira pelos cientistas do Instituto Mare, Seaforester e comentadores da Liga Mundial de Surf, em Março de 2022, seria libertado no Oceano. As sementes de Kelp tinham sido fixadas com sucesso no cascalho e cultivadas em plantas de Kelp bebé. Era tempo de replantar o Oceano com esta espécie de Kelp (Laminaria ochroleuca), que está a desaparecer das costas portuguesas.

O projecto não só aumenta a consciência dos múltiplos serviços ecossistémicos que as macroalgas como a Kelp fornecem - filtrando a água do mar, fornecendo nutrientes, alimentos e habitat para espécies marinhas, captura de carbono - mas também reúne as pessoas em nome da ciência e acção dos oceanos. Surfistas e cientistas puderam falar sobre o que têm observado através do seu trabalho e práticas pessoais, mergulhando em questões que afectam o Oceano local (e global). Estas conversas vitais ajudam a facilitar o desenvolvimento na co-designação de mais ciência cidadã, esforços de restauração e conservação.

A ReGeneration Surf vai juntar-se à Seaforester para um evento paralelo especial durante a semana da Conferência Oceânica da ONU em Lisboa, a 30 de Junho, para falar sobre o envolvimento das comunidades locais na restauração marinha. Para mais informações visite ReGeneration Surf.

Para saber mais sobre a situação da Golden Kelp, leia o artigo científico do ECOP João Nuno Franco que investiga e reporta: "Laminaria ochroleuca sob mudanças globais".

A ReGeneration Surf foi possível graças ao financiamento da World Surf League (através da sua campanha We Are One Ocean) e de todos os parceiros da coligação ReGeneration Surf: Oceans and Flow, Mossy Earth, Seaforester e Zero Waste Lab. Um enorme obrigado a todos os surfistas, cineastas e voluntários que se juntaram para o dia da implantação - um dia que os surfistas pioneiros devolveram aos habitats do Oceano e, espera-se, plantaram uma semente (Kelp) para o futuro a fim de restaurar os ecossistemas costeiros.