Notícias

Três novos projectos MeerWissen seleccionados para reforçar as soluções baseadas na natureza marinha em África

COI-UNESCO/MeerWissen, 04.10.2022

Comunicado de imprensa 4 de Outubro de 2022 I Bona/Paris - A Iniciativa MeerWissen - Parceiros África-Alemã para o Conhecimento dos Oceanos - e a Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030) têm o prazer de anunciar três projectos vencedores do 3º Concurso MeerWissen, para melhorar a base de conhecimento para soluções baseadas na natureza marinha nos estados costeiros africanos. Os projectos de parceria afro-alemã também têm como objectivo facilitar a utilização e aceitação de soluções em estratégias e planos de acção nacionais.

Os três projectos seleccionados são executados em parceria entre instituições de investigação marinha africanas e alemãs, com um importante enfoque temático no "Reforço da conservação da biodiversidade com soluções baseadas na natureza marinha em África". O apoio da Iniciativa MeerWissen aos três novos projectos é possível através de fundos do Ministério Federal Alemão para a Cooperação Económica e Desenvolvimento (BMZ) com um montante máximo de 360.000 euros para cada projecto. O financiamento inclui uma fase de Co-Design de até 9 meses, seguida por uma fase de implementação de dois anos. O apoio da MeerWissen aos três novos projectos de investigação estende-se a contribuir para discussões fundamentais e desenvolvimentos políticos em curso destinados a reforçar as soluções baseadas na natureza marinha em África.

A Dra. Maya Pfaff, Conselheira da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e parte do secretariado MeerWissen diz: "A Iniciativa MeerWissen responde à necessidade urgente de uma forte base de conhecimentos para a tomada de decisões baseada em provas nos países africanos. Os projectos de parceria recentemente lançados desempenharão um papel importante na continuação da exploração de soluções baseadas na natureza marinha para os desafios sociais nos seus países de implementação. Em nome do secretariado da MeerWissen, felicito os projectos seleccionados por colocarem ideias ousadas e promissoras sobre a mesa, e agora é tempo de entrar em acção e torná-las realidade"!

O 3º convite à apresentação de propostas MeerWissen é uma contribuição oficial para a Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030) que está a ser coordenada pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO. Os três projectos seleccionados são agora aprovados como acções oficiais da Década e formalmente reconhecidos como parte da Década dos Oceanos.

"Estamos entusiasmados por colaborar com a MeerWissen no presente convite à apresentação de propostas. A África é uma região prioritária para a Década dos Oceanos, dadas as necessidades significativas em termos de desenvolvimento do conhecimento, capacidade e recursos dos oceanos. Estes três projectos funcionarão como modelos para a ciência oceânica transformadora que pode ser mais desenvolvida e implementada no contexto da Década dos Oceanos em África e felicitamos e agradecemos aos proponentes pelo seu empenho", disse Julian Barbière, Coordenadora Global da Década dos Oceanos e Chefe da Secção de Política Marinha e Coordenação Regional do COI-UNESCO.

Três novos projectos de parceria em quatro países africanos

Durante os próximos dois anos e meio, as novas fases do projecto incluem Co-Design, implementação do projecto e actividades a ter lugar em todo o Gana, Tunísia, Tanzânia e África do Sul. Estas actividades irão abordar uma vasta gama de desafios, desde a mitigação das alterações climáticas e inundações, e a redução dos riscos de erosão costeira, até ao combate à poluição das bacias hidrográficas.

O projecto "Mangroves as Nature-based Solutions to Coastal Hazards in Eastern Ghana" (MANCOGA) irá desenvolver ferramentas de apoio à decisão para reduzir os riscos costeiros, tais como inundações relacionadas com o clima, erosão, e poluição ao longo da costa oriental do Gana. Para o conseguir, MANCOGA desenvolverá um modelo "Gémeo Digital" que capta as condições locais e explora cenários de E/S de inundação e erosão. O objectivo final do projecto é aumentar a resiliência e a afluência da comunidade, tudo isto através do trabalho no sentido de utilizar os mangais como soluções baseadas na natureza.

O projecto MeerWissen "OceanogRaphIc and Ecological dAta for Nature-based coasTAl proTEction" (ORIENTATE) fornecerá dados sustentáveis e rentáveis sobre o risco de erosão para a Tunísia. Irá desenvolver um laboratório vivo para a mitigação baseada na natureza através de transplantes de ervas marinhas em redor da ilha de Djerba. Ao envolver as comunidades locais e a juventude local, o projecto contribui para o desenvolvimento de capacidades, facilitando simultaneamente a governação adaptativa dos riscos de erosão nas zonas costeiras mais vulneráveis da Tunísia.

O terceiro projecto "Soluções baseadas na Natureza para a Mitigação da Poluição das Bacias Hidrográficas": Facilitação de habitats cruzados por prados costeiros de ervas marinhas" (SOMWAT) é implementado na Tanzânia e na África do Sul. Avalia o papel dos prados de ervas marinhas na redução da poluição das bacias hidrográficas, com o objectivo de melhorar os meios de subsistência das comunidades locais. O projecto irá também avaliar os efeitos de "filtragem" dos prados de ervas marinhas na melhoria da qualidade da água em áreas de recife adjacentes e pequenas explorações aquícolas para melhorar o ecossistema e a saúde humana, e facilitar uma utilização mais sustentável dos recursos marinhos.

As soluções baseadas na natureza marinha desempenham um papel significativo na salvaguarda dos meios de subsistência das populações costeiras. Tentam enfrentar simultaneamente múltiplos desafios, combinando medidas de adaptação e mitigação climática, protecção costeira, segurança alimentar, bem como a conservação da biodiversidade. Um número crescente de nações costeiras em África está a desenvolver estratégias para implementar soluções baseadas na natureza marinha. Isto sublinha a necessidade urgente de novas e inovadoras ciências oceânicas para construir a base de conhecimentos para decisões políticas informadas em matéria de gestão marinha e costeira. Através dos três novos projectos de parceria, a Iniciativa MeerWissen ajudará a reforçar a conservação da biodiversidade com soluções baseadas na natureza marinha em África.

***

Sobre a Iniciativa MeerWissen:

A Iniciativa MeerWissen - Parceiros Africanos-Alemães para o Conhecimento dos Oceanos - procura fornecer aos decisores políticos a informação científica de que necessitam para tomar decisões profundas para a gestão e conservação eficazes dos oceanos e costas de África. A Iniciativa MeerWissen reforça as parcerias entre instituições de investigação marinha em África e na Alemanha. Baseia-se nas competências regionais dos países parceiros africanos e no papel de liderança internacional da Alemanha na investigação marinha. A iniciativa ajuda a assegurar que as decisões políticas futuras se baseiem numa melhor disponibilidade de informação. A MeerWissen é financiada pelo Ministério Federal Alemão para a Cooperação Económica e Desenvolvimento (BMZ) e facilitada pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

Sobre a Década dos Oceanos:

Proclamada em 2017 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, a Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030) ("Década dos Oceanos") procura estimular a ciência dos oceanos e a geração de conhecimento para inverter o declínio do estado do sistema oceânico e catalisar novas oportunidades para o desenvolvimento sustentável deste enorme ecossistema marinho. A visão da Década dos Oceanos é "a ciência de que precisamos para o oceano que queremos". A Década dos Oceanos fornece um quadro de convocação para cientistas e partes interessadas de diversos sectores desenvolverem o conhecimento científico e as parcerias necessárias para acelerar e aproveitar os avanços da ciência dos oceanos para alcançar uma melhor compreensão do sistema oceânico, e fornecer soluções baseadas na ciência para alcançar a Agenda 2030. A Assembleia Geral da ONU mandatou a Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO para coordenar os preparativos e a implementação da Década.