Atenuar as ameaças e os impactos destrutivos dos tsunamis através de um sistema de navegação por satélite melhorado

COI/UNESCO

Atenuar as ameaças e os impactos destrutivos dos tsunamis através de um sistema de navegação por satélite melhorado

Atenuar as ameaças e os impactos destrutivos dos tsunamis através de um sistema de navegação por satélite melhorado 750 1000 Década dos Oceanos

Com mais de 40% da população global a viver a menos de 100 km da costa - uma tendência em ascensão - e cada vez mais exposta aos riscos climáticos, são necessárias soluções de adaptação urgentes e inovadoras para enfrentar os muitos e diversos desafios para as comunidades e os ecossistemas destas áreas. Através de um concurso conjunto lançado pelo Fundo de Investigação AXA e pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO como parte da Década dos Oceanos, sete projectos inovadores de investigação pós-doutoramento foram aprovados como parte da Década dos Oceanos e irão reforçar as intervenções baseadas na ciência para a preservação e a resiliência dos meios de subsistência costeiros.

Uma das sete bolseiras seleccionadas no âmbito do convite conjunto do Fundo de Investigação AXA - COI/UNESCO, a Dra. Michela Ravanelli vai lançar, em setembro de 2023, o seu projeto "Altruist" para melhorar a atualidade e a fiabilidade dos sistemas de alerta de tsunamis em zonas e comunidades costeiras propensas a terramotos.

"Esta investigação vai aproveitar um conjunto de algoritmos e desenvolver uma ferramenta baseada no Sistema Global de Navegação por Satélite, ou GNSS", diz Michela, que é especialista em Geomática. "O objetivo é melhorar a fiabilidade, a precisão e os sistemas de alerta de tsunamis em tempo real."

No último século, 58 tsunamis custaram a vida a mais de 260.000 pessoas em todo o mundo. Embora raros, estes fenómenos possuem uma enorme força destrutiva e resultam em mais perdas de vidas do que qualquer outra catástrofe natural, com uma média de 4.600 mortes por evento[1]. As Nações Unidas alertam para o facto de que, até 2030, metade da população mundial viverá em zonas costeiras expostas a fortes inundações, tempestades e tsunamis, agravadas pela subida do nível do mar[2].

"Dezenas de milhares de pessoas e milhares de milhões de dólares em bens estão ameaçados pelo risco global de tsunami, pelo que temos de desenvolver abordagens inovadoras para reduzir os riscos", afirma. "Quando um tsunami gerado por um terramoto local pode ter impacto em minutos, os avisos e a evacuação atempados são essenciais."

Michela baseará o seu trabalho na Abordagem Variométrica Total desenvolvida por investigadores da Universidade Sapienza de Roma, Itália, e testada durante o terramoto de magnitude 8,3 de Illapel, em 2015, no Chile. O método demonstrou resultados promissores no apoio ao sistema clássico de alerta de tsunami, contribuindo para uma compreensão completa, rápida caraterização e gestão de eventos sísmicos em tempo real.

Os tsunamis podem produzir ondas de gravidade que podem atingir a parte superior da atmosfera, a chamada ionosfera, e perturbar os iões e electrões que a compõem. Esta perturbação é detetável através do sinal GNSS. Através de diferentes algoritmos, a Abordagem Variométrica Total assegura a monitorização simultânea do movimento do solo e das perturbações ionosféricas induzidas.

Durante a sua bolsa do Fundo de Investigação AXA na Universidade Sapienza de Roma, Michela irá melhorar as técnicas de medição das perturbações atmosféricas, desenvolvendo novos procedimentos, determinando a altitude correcta para a deteção de perturbações na ionosfera provocadas por terramotos e tsunamis e implementando um filtro de fundo ionosférico em tempo real.

"Vou aperfeiçoar a Abordagem Variométrica Total para criar uma ferramenta em tempo real que aumentará a eficiência, a fiabilidade e a precisão dos sistemas de alerta de tsunamis", explica.

A investigação de Michela abordará o Desafio 6 da Década dos Oceanos, que visa melhorar os serviços de alerta precoce de múltiplos perigos para todos os perigos geofísicos, ecológicos, biológicos, meteorológicos, climáticos e antropogénicos relacionados com os oceanos e as zonas costeiras, e integrar a preparação e a resiliência das comunidades.

A segunda fase do projeto demonstrará a eficácia da metodologia num sistema de alerta em tempo real - os testes terão lugar no Observatório Vulcanológico e Sismológico do IPGP de Guadalupe, um dos quatro observatórios vulcanológicos dedicados à monitorização dos vulcões franceses activos.

"Juntamente com os sistemas de alerta já existentes, como sismómetros, acelerómetros, bóias e marégrafos, espera-se que a metodologia desenvolvida tenha impactos profundos e abrangentes na comunidade dos sistemas de alerta de tsunamis",detalha Michela. "Salvaremos vidas olhando para o céu!"

O projeto visa servir de apoio adicional às autoridades e governos locais no estabelecimento e manutenção da preparação para uma resposta eficaz aos tsunamis. A longo prazo, espera-se que a metodologia seja exportada para outras zonas tsunamigénicas.

Para mais informações sobre o projeto da Michela, visite a sua página de ação no sítio Web da Ocean Decade e a sua página do projeto no sítio Web do AXA Research Fund.

Para mais informações sobre todos os projectos vencedores, visite a página AXA Postdoctoral Fellows.

***

Sobre a COI/UNESCO:

A Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI/UNESCO) promove a cooperação internacional em ciências marinhas para melhorar a gestão dos oceanos, costas e recursos marinhos. O COI permite aos seus 150 Estados-Membros trabalhar em conjunto através da coordenação de programas de desenvolvimento de capacidades, observação e serviços oceânicos, ciência oceânica e alerta contra tsunamis. O trabalho do COI contribui para a missão da UNESCO de promover o avanço da ciência e as suas aplicações para desenvolver o conhecimento e a capacidade, chave para o progresso económico e social, a base da paz e do desenvolvimento sustentável.

Sobre a Década dos Oceanos:

Proclamada em 2017 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, a Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030) ("Década dos Oceanos") procura estimular a ciência dos oceanos e a geração de conhecimento para inverter o declínio do estado do sistema oceânico e catalisar novas oportunidades para o desenvolvimento sustentável deste enorme ecossistema marinho. A visão da Década dos Oceanos é "a ciência de que precisamos para o oceano que queremos". A Década dos Oceanos fornece um quadro de convocação para cientistas e partes interessadas de diversos sectores desenvolverem o conhecimento científico e as parcerias necessárias para acelerar e aproveitar os avanços da ciência dos oceanos para alcançar uma melhor compreensão do sistema oceânico, e fornecer soluções baseadas na ciência para alcançar a Agenda 2030. A Assembleia Geral das Nações Unidas mandatou a Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI/UNESCO) para coordenar os preparativos e a implementação da Década.

Sobre o Fundo de Investigação AXA:

O Fundo de Investigação AXA foi lançado em 2008 para abordar as questões mais importantes que o nosso planeta enfrenta. A sua missão é apoiar a investigação científica em áreas-chave relacionadas com o risco e ajudar a informar a tomada de decisões com base científica nos sectores público e privado. Desde o seu lançamento, o AXA Research Fund afectou um total de 250 milhões de euros ao financiamento científico e apoiou cerca de 700 projectos de investigação nas áreas da saúde, clima e ambiente, e socioeconomia.

[1] https://www.un.org/en/observances/tsunami-awareness-day

[2] https://news.un.org/en/story/2021/11/1104972

A DÉCADA DOS OCEANOS

A ciência que precisamos para o oceano que queremos

ENTRAR EM CONTACTO

PRÓXIMOS EVENTOS

SUBSCREVER A NOSSA NEWSLETTER

OPORTUNIDADES

Junte-se #OceanDecade

Preferências de privacidade

Quando visita o nosso sítio Web, este pode armazenar informações através do seu browser de serviços específicos, normalmente sob a forma de cookies. Aqui pode alterar as suas preferências de privacidade. É importante notar que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar a sua experiência no nosso sítio Web e os serviços que podemos oferecer.

Por motivos de desempenho e segurança, utilizamos o Cloudflare
necessário

Ativar/desativar o código de acompanhamento do Google Analytics no navegador

Ativar/desativar a utilização de tipos de letra do Google no navegador

Ativar/desativar vídeos incorporados no navegador

Política de privacidade

O nosso sítio Web utiliza cookies, principalmente de serviços de terceiros. Defina as suas preferências de privacidade e/ou concorde com a nossa utilização de cookies.