COP15 catalisa novos compromissos para a biodiversidade oceânica em 2023 e mais além

COI-UNESCO

COP15 catalisa novos compromissos para a biodiversidade oceânica em 2023 e mais além

COP15 catalisa novos compromissos para a biodiversidade oceânica em 2023 e mais além 2048 1536 Década do Oceano

A COP15 em Dezembro de 2022 marcou um ponto de viragem para os compromissos sobre a biodiversidade oceânica. Juntamente com o evento emblemático do COI/UNESCO "Um Oceano de Vida", foram introduzidos novos objectivos e metas sobre ciência, informação, dados, financiamento e muito mais.

Presidida pela China e acolhida pelo Canadá em Montreal, a 15.ª Conferência das Partes da Convenção sobre a Diversidade Biológica (CBD COP15) viu quase 200 países concordarem em proteger 30% das terras, oceanos, zonas costeiras e águas interiores até 2030, como parte do novo e histórico Quadro Global de Biodiversidade de Kunming-Montreal (GBF). Este "compromisso 30 x 30" é um dos quatro objectivos e 23 metas acordados até 2030.

A fim de dar maior visibilidade às questões da biodiversidade marinha e costeira durante a COP 15, a Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI/UNESCO), no seu papel de coordenadora da Década das Nações Unidas de Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (Década do Oceano), organizou o evento emblemático de meio dia da COP 15 sobre os oceanos: "Um Oceano de Vida", em 16 de dezembro de 2022, reunindo vozes importantes num diálogo de alto nível sobre a ciência e as soluções políticas necessárias para travar a perda de biodiversidade dos oceanos.

A Directora-Geral da UNESCO, Audrey Azoulay, abriu a discussão e contou com a presença de representantes, incluindo S.E. Thérèse Coffey, Secretária de Estado do Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais, Reino Unido; S.E. Espen Barth Eide, Ministra do Clima e Ambiente, Noruega; e S.E. Joyce Murray, Ministra das Pescas e Oceanos, Canadá; Peter Thomson, Enviado Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para o Oceano; Andrew Rhodes, Enviado Especial para os Oceanos adstrito ao Subsecretário para os Assuntos Multilaterais e Direitos Humanos, México; Olivier Poivre d'Arvor, Enviado Especial do Presidente para o UNOC 2025 e Embaixador para os Polacos e Oceanos, França.

O evento sublinhou a importância de proteger e gerir de forma sustentável a biodiversidade marinha e costeira para alcançar um mundo futuro mais sustentável. Explorou também o papel do sítio Década do Oceano para gerar a ciência e os conhecimentos que constituem a base da ação para enfrentar a crise da biodiversidade marinha.

"O GBF é um quadro para todas as agências da ONU, e para a integração de sistemas de conhecimento, para enfrentar os desafios que enfrentamos", disse David Obura, Director Fundador do CORDIO da África Oriental, que proferiu o discurso principal. "Estamos finalmente a reconhecer que precisamos de integrar diferentes sistemas de conhecimento para assegurar que todos os grupos estejam envolvidos nas decisões sobre a gestão futura do nosso oceano".

O evento lançou um novo resumo de política, " Ciência dos oceanos para a conservação da biodiversidade e utilização sustentável ", que demonstra como o sítio Década do Oceano apoia a Convenção sobre a Diversidade Biológica e o GBF. Este documento inclui o papel das observações dos oceanos através do Sistema Global de Observação dos Oceanos (GOOS) e dos seus parceiros, como o Sistema de Informação sobre a Biodiversidade dos Oceanos (OBIS) e a Rede de Observação da Biodiversidade Marinha (MBON), como base para a proteção da biodiversidade e a utilização sustentável, bem como as formas como as novas tecnologias, como o eDNA, podem garantir que todos os países possam gerar os conhecimentos necessários para proteger os seus recursos marinhos e costeiros.

A atenção irá agora voltar-se para a implementação do GBF e dos seus Objectivos e Metas. Um desafio-chave para o GBF será a necessidade de mobilizar recursos e esta questão foi um foco chave das negociações na COP 15, incluindo o aumento do apoio financeiro dos países desenvolvidos para os países em desenvolvimento, dando prioridade aos países menos desenvolvidos (PMD), pequenos Estados insulares em desenvolvimento (PEID), e países com economias em transição.

A IOC/UNESCO e o Década do Oceano continuam empenhados em trabalhar com parceiros para contribuir para a implementação efectiva do GBF em relação à biodiversidade marinha e costeira, com um foco particular em assegurar que ciência e conhecimento relevantes e oportunos sejam gerados e usados para soluções de biodiversidade.

***

Sobre a COI/UNESCO:

A Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI/UNESCO) promove a cooperação internacional no domínio das ciências marinhas para melhorar a gestão dos oceanos, das costas e dos recursos marinhos. A COI permite que os seus 150 Estados-Membros trabalhem em conjunto através da coordenação de programas de desenvolvimento de capacidades, observações e serviços oceânicos, ciência oceânica e alerta de tsunami. O trabalho do COI contribui para a missão da UNESCO de promover o avanço da ciência e das suas aplicações para desenvolver o conhecimento e as capacidades, fundamentais para o progresso económico e social, base da paz e do desenvolvimento sustentável.

Sobre o Década do Oceano:

Proclamada em 2017 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, a Década das Nações Unidas de Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030) ("a Década do Oceano") procura estimular a ciência dos oceanos e a geração de conhecimentos para inverter o declínio do estado do sistema oceânico e catalisar novas oportunidades de desenvolvimento sustentável deste enorme ecossistema marinho. A visão do Década do Oceano é "a ciência de que precisamos para o oceano que queremos". O Década do Oceano fornece um quadro de convocação para cientistas e partes interessadas de diversos sectores para desenvolver o conhecimento científico e as parcerias necessárias para acelerar e aproveitar os avanços na ciência dos oceanos para alcançar uma melhor compreensão do sistema oceânico e fornecer soluções baseadas na ciência para alcançar a Agenda 2030. A Assembleia Geral da ONU mandatou a Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI/UNESCO) para coordenar os preparativos e a implementação da Década.

Contactos de comunicação:

COI/UNESCO
Vinícius Grunberg Lindoso
v.lindoso@unesco.org

Década do Oceano
Sharon Rapose
s.rapose@unesco.org

A DÉCADA DO OCEANO

A ciência que precisamos para o oceano que queremos

ENTRAR EM CONTACTO

PRÓXIMOS EVENTOS

SUBSCREVER A NOSSA NEWSLETTER

OPORTUNIDADES

Junte-se #OceanDecade

Preferências de privacidade

Quando visita o nosso sítio Web, este pode armazenar informações através do seu browser de serviços específicos, normalmente sob a forma de cookies. Aqui pode alterar as suas preferências de privacidade. É importante notar que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar a sua experiência no nosso sítio Web e os serviços que podemos oferecer.

Por motivos de desempenho e segurança, utilizamos o Cloudflare
necessário

Ativar/desativar o código de acompanhamento do Google Analytics no navegador

Ativar/desativar a utilização de tipos de letra do Google no navegador

Ativar/desativar vídeos incorporados no navegador

Política de privacidade

O nosso sítio Web utiliza cookies, principalmente de serviços de terceiros. Defina as suas preferências de privacidade e/ou concorde com a nossa utilização de cookies.